Pular para o conteúdo
Exclusivo GiroNews
Imagem em destaque

Digitalização eleva patamar dos supermercados na Black Friday

Novos Players na Disputa

Historicamente, a Black Friday tem o e-commerce como seu principal canal de vendas. Apesar de ganhar destaque também nas lojas físicas, agora, a omnicanalidade surge como um fator chave para as pesquisas de preços e compras. E é justamente nessa frente que os supermercadistas têm investido nos últimos anos. Com isso, o setor ganha uma posição de relevância entre os players digitais na data promocional. "A gente percebe que durante e depois da pandemia muita gente foi para o e-commerce, e esse virou um novo hábito de consumo. Mais da metade da população brasileira hoje já tem o hábito de comprar no e-commerce e na loja física. O varejo alimentar se destaca e deve fazer eventos e investimentos no e-commerce, porque muitos consumidores só compram online", destaca Robson Munhoz, Chief Customer Success Officer da Neogrid, com exclusividade ao Jornal Giro News.

Alimentos Avançam no E-commerce
O crescimento das compras online de alimentos e bebidas é visto como uma oportunidade também na Black Friday. Segundo Rafa Forte, cofundador e presidente da VTEX Brasil, os varejistas estão otimizando seu e-commerce para oferecer melhores experiências aos clientes e, com isso, aumentando a taxa de conversão. "O setor de alimentos e bebidas está entre os setores que mais se destacam em número de pedidos no e-commerce brasileiro, atrás apenas de produtos de moda e beleza, como mostra pesquisa da Neotrust", destaca o empresário.

Para a head da Cornershop by Uber, Cristina Alvarenga, a Black Friday já ultrapassou as fronteiras entre os canais de vendas do comércio. "A tendência de dar protagonismo às ofertas de supermercados em canais digitais já é mais uma evolução desse movimento. Assim como as lojas de eletrônicos e outros bens de consumo, as redes estão investindo em promoções realmente atrativas para chamar atenção e conquistar os consumidores."

Tendências e Desafios na Black Friday
A expectativa é que, nos próximos anos, os supermercadistas continuem a evoluir sua operação digital, inclusive para as demandas da Black Friday. "O online veio justamente para economizar tempo. Em vez de ir ao supermercado, vou no meu aplicativo, compro o que quero e alguém entrega de forma muito rápida. Grandes varejistas do mundo digital já perceberam isto e estão intensificando cada vez mais. Então há uma curva de tendência de aumentar o número de consumidores que compram online", explica Robson, da Neogrid. As próximas edições da Black Friday devem ser favorecidas, ainda, por ferramentas que unificam experiências, produtos e pedidos em diferentes canais, conforme aponta o presidente da VTEX. "Uma tendência clara é a adoção de diferentes modelos de venda para engajar os consumidores e favorecer sua interação e experiência. Isso inclui compras ao vivo, como o live commerce, o conversational commerce, ou vendas pelas redes sociais", conclui Rafa Forte.

Reportagem: Bruna Soares

22/11/2022

Compartilhar

Notícias em destaque