Pular para o conteúdo
Imagem: Procon-SP lista empresas com mais reclamações em 2022

A Facily, aplicativo de compras coletivas, foi a empresa que mais recebeu reclamações no Procon-SP em 2022. Foram 25.939 reclamações, das quais 8.070 foram atendidas e 17.869 não. Em 2021, a plataforma ocupou o 17º lugar entre as mais empresas reclamadas no Procon-SP. No ranking de 2022, a Facily é seguida pela Eletropaulo/Enel (6.788 reclamações), Mercado Livre (4.581 reclamações), Claro (4.433 reclamações) e Vivo/Telefônica (3.690 reclamações), que ocupam, respectivamente, o 2º, 3º, 4º e 5º lugares. Fecham o top 10 as empresas Samsung, Via, Bradesco, Shopee e Itapemirim.

16/03/23

Imagem: Procon-SP notifica Mercado Livre e Magazine Luiza

O Procon-SP recebeu mais de 1.500 reclamações de consumidores que tiveram problemas em promoções relacionadas à Black Friday. A maior parte dos relatos refere-se à não entrega ou demora na entrega dos produtos, com um total de 476 queixas (30%). Outros dos principais problemas relatados foram: mudança de preço ao finalizar a compra (221); pedido cancelado após finalização da compra (201); maquiagem de desconto (193); produto e/ou serviço entregue diferente do pedido, incompleto e/ou danificado (135). Com isso, o Procon-SP notificou o Mercado Livre e o Magazine Luiza, que foram as duas empresas que tiveram mais reclamações.

29/11/23

Imagem: Cesta básica tem alta de 13% em um ano

Um levantamento do Procon-SP, em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), revela que houve aumento de 13,89% no valor da cesta básica de outubro de 2021 para 2022. O preço, que era de R$ 1.089,93, passou para R$ 1.241,36. Em um ano, os três produtos que apresentaram maiores altas foram: cebola kg (190,35%), café em pó 500g (48,08%) e farinha de trigo kg (37,81%). Já na comparação entre outubro e setembro deste ano, o valor teve queda de 0,63%, passando de R$ 1.249,26 para R$ 1.241,36.

22/11/22

Imagem: Nestlé deverá prestar esclarecimentos ao Procon

Nesta quarta-feira (21), o Procon-SP notificou a companhia de alimentos Nestlé, solicitando esclarecimentos sobre a diferença entre o leite condensado tradicional e a mistura láctea condensada à base de soro de leite e amido. De acordo com o órgão, as embalagens semelhantes têm gerado confusão nos consumidores. O Procon-SP também questionou a embalagem do creme de leite original e de uma "mistura de creme de leite". As misturas lácteas foram lançadas pela Nestlé neste ano. A companhia deverá responder aos questionamentos sobre diferenças nutricionais e indicações de consumo até 26 de setembro.

21/09/22

Imagem: Preço da Cesta Básica Atinge R$ 1.088,00

Em um ano, o valor da cesta básica paulistana apresentou alta de 7,95%, de acordo com uma pesquisa feita pelo Procon-SP, em convênio com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O valor médio passou de R$ 1.007,89 em dezembro de 2020 para R$ 1.088,00 em dezembro de 2021. Os três grupos apresentaram aumento, sendo as variações acumuladas de 7,31% para alimentação, de 8,70% para higiene e de 18,56% para limpeza. Dentre os 28 alimentos pesquisados, 23 tiveram aumento nos valores médios, com destaque para o café e açúcar.

19/01/22

Imagem: Cesta Básica Registra Alta de 28,53% em 2020

O valor da cesta básica paulistana apresentou alta de 28,53%, passando de R$ 784,16 em dezembro de 2019 para R$ 1.007,89 em dezembro de 2020. Os dados são de uma pesquisa feita pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP, em convênio com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Todas as categorias tiveram aumento, com variações acumuladas de 7% para limpeza doméstica, 11,68% para higiene e 31,69% para alimentação. As cinco maiores variações foram verificadas em alimentação: óleo de soja (120%), arroz (93,88%), batata (62,06%), queijo muçarela fatiado (46,82%) e carne de segunda sem osso (41,54%).

18/01/21