Pular para o conteúdo
Imagem: Alimentação puxa alta da inflação em maio

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) revela que os preços aumentaram 0,46% em maio, depois de uma variação de 0,38% em abril. Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a alta foi puxada pelo grupo de Alimentação e Bebidas, que subiu 0,62% na comparação com abril.

12/06/24

Imagem: Grupo de alimentação e bebidas fecha 2023 com alta 1,03%

O custo das famílias com a alimentação e bebidas atingiu aumento de 1,03% no ano, o que corresponde a uma contribuição de 0,23 ponto porcentual para a taxa de 4,62% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Esses são dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com a alta, o valor foi inferior à variação de 11,64% registrada em 2022 e representa o menor resultado desde 2017, quando houve recuo de 1,87%. O valor se dá por conta das boas safras, principalmente a de grãos, e da redução do preço das commodities agrícolas.

12/01/24

Imagem: Preços de alimentos acumulam queda de 2,65%

Os preços de alimentos e bebidas caíram 0,71% em setembro, registrando quatro meses seguidos de quedas. Com isso, o segmento acumulou redução de 2,65% de junho a setembro, sendo que o custo da alimentação para consumo no domicílio totalizou queda de 4,01%, enquanto a alimentação fora do domicílio teve alta de 1,01% no período. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em setembro, os produtos que tiveram as maiores quedas foram: batata-inglesa (-10,41%), cebola (-8,08%) e ovo de galinha (-4,96%).

16/10/23

Imagem: Restaurantes devem manter preços, mesmo com a redução do IPCA: saiba por quê

*Por Fernando Blower, diretor executivo da ANR Apesar de o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ter recuado 0,08% em junho, após alta de 0,23% em maio, registrando a primeira deflação em nove meses, o momento é de cautela para empreendedores do foodservice brasileiro. Isso porque o custo no bolso dos empresários não envolve apenas o alimento que chega à mesa do consumidor, há outros fatores que influenciam os negócios, como aluguel, salário dos funcionários, gastos com fornecedores, despesas de consumo como energia elétrica, água e assim por diante.

29/09/23