Pular para o conteúdo
Imagem destaque: Digitalização e novos padrões de consumo impulsionam mercado pet em Minas Gerais
Crédito: Freepik

Digitalização e novos padrões de consumo impulsionam mercado pet em Minas Gerais

  Os pet shops do estado de Minas Gerais têm ampliado tanto o mix de produtos como os serviços para atender as demandas dos clientes. Cerca de 35% dos estabelecimentos já adotaram as vendas online e 6,3% manifestam intenção em implementar o modelo. É o que mostra o levantamento feito pela Fecomércio MG com 353 estabelecimentos de diversas regiões do estado. Ainda, a pesquisa revela que os canais online mais utilizados pelos pet shops que já adotaram as vendas pela internet são o WhatsApp e as redes sociais, evidenciando uma preferência por plataformas de comunicação instantânea e interação social. Dessas vendas online, 53,7% correspondem a até 20% do faturamento total dos estabelecimentos. 

  

 Segundo o levantamento, entre os produtos mais buscados pelos tutores estão os alimentícios (57,2%), medicinais (33,7%), acessórios para o animal (31,8), higiene (28,9%) e vestimentas (6,4%). Já entre os serviços estão banho e tosa (70,2%), transporte (34,3%), hospedagem (5,4%), passeador de cães (3,5%) e adestramento (1,2%). Acompanhando essa tendência, cerca de 66% dos pet shops de Minas Gerais oferecem produtos e serviços e 34,5% dos estabelecimentos contam com o atendimento médico veterinário. 


Personalização no Atendimento

 Os empresários do setor se atentam também a diferenciação no atendimento dos seus clientes. Entre os principais diferenciais oferecidos encontram-se os programas de fidelidade (33,9%), programas de assinatura (16,9%), desconto no mês de aniversário do pet (13,6%) e banhos terapêuticos (3,4%). “A relação entre humanos e pets está em constante transformação e o investimento no bem-estar dos animais de estimação encontra-se em constante crescimento. Não obstante, segundo 67,2% dos pet shops, o gasto médio dos seus clientes gira em torno de R$ 25,00 a R$ 100,00”, comenta Gabriela Martins, economista da Fecomércio MG. 


24/05/2024

Compartilhar

Notícias em destaque