Pular para o conteúdo
Imagem destaque: Relação ganha-ganha na cadeia de abastecimento
Crédito: Associação Brasileira de Automação

Relação ganha-ganha na cadeia de abastecimento

*Por João Carlos de Oliveira, presidente da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil


  Uma nova tecnologia chega para revolucionar ainda mais a cadeia de alimentos. Depois da evolução proporcionada pelo código de barras, as tão conhecidas linhas pretas verticais impressas nas etiquetas e embalagens de mais de 1 bilhão de produtos no mundo ganham um reforço de extrema importância – o QR Code Padrão GS1, da Associação Brasileira de Automação.

 

 Em 50 anos de existência, o código de barras mudou a maneira como compramos e vendemos. Agora temos a verdadeira transformação tecnológica que traz consigo uma infinidade de benefícios e oportunidades para quem produz e também para quem leva os alimentos para a mesa do consumidor. O código representa a impressão digital dos produtos que usa combinações binárias inseridas em sua impressão de linhas pretas nas embalagens. Essas combinações contêm dados essenciais para agilizar o processo de compra no caixa, otimizar o controle de estoque e fornecer informações para um rastreamento mais eficiente, visando entender melhor o perfil dos clientes.

 

 O novo QR Code padrão GS1 que está em processo de transição em todo o mundo oferece ainda mais possibilidades ao promover a rastreabilidade dos produtos, desde a sua origem, além de permitir ações de marketing e de sustentabilidade. Também possui maior capacidade de armazenar dados, ocupando um espaço menor nas embalagens dos produtos. E isso é apenas o começo.

 

 A GS1 está liderando no mundo toda uma iniciativa para a transição e implementação da (R)evolução do código de barras em parceria com líderes da indústria e players do varejo. Isso significa mais autonomia e segurança na escolha dos produtos que consumimos.

 

Mas, afinal, qual é o impacto dessa principal mudança? São muitos:


  • Informações sobre a rastreabilidade do produto por meio do número do lote;
  • Dados sobre o quão fresco esse produto é por meio da data de vencimento e do prazo de validade;
  • Medidas variáveis, como contagem de itens dentro da embalagem, o peso líquido e até mesmo o preço;
  • Aumento na velocidade de digitalização de dados e do processamento do sistema;
  • Ganho de produtividade;
  • Melhor controle sobre lotes de produtos;
  • Redução de custos e mais agilidade nos processos de recall;
  • Maior facilidade para localizar itens em toda a cadeia;
  • Maior rastreabilidade dos produtos, durante toda sua vida útil;
  • Melhor experiência e transparência nas informações disponibilizadas ao consumidor.


 Ou seja, um único código agora servirá para vários propósitos. Por exemplo, hoje há um certo controle sobre o estoque e os produtos comercializados nos pontos de venda. Mas o controle proporcionado pelo QR Code Padrão GS1 é ainda maior, com mais visibilidade de informações no sistema.

 

 Isso permitirá que os varejistas evitem perdas e consigam combater o desperdício de produtos de forma mais efetiva. A informação será mais rápida e precisa. Pensando em alimentos, torna-se ainda mais essencial para um melhor gerenciamento do estoque e estratégias para evitar a perda de produtos altamente perecíveis. Além disso, será mais fácil controlar e, inclusive, bloquear a venda de itens vencidos no próprio checkout dos estabelecimentos.

 

Consumidor

 No que diz respeito à experiência oferecida aos consumidores, o que melhora muito é o fato de que, com apenas um aplicativo no celular, eles agora poderão ler o código nas embalagens e acessar inúmeras informações sobre o produto que querem comprar e sobre a marca.

 

 Será possível interagir com o usuário, pois o QR Code pode ser escaneado com a câmera do celular ou tablet, dando acesso a uma série de informações como textos, vídeos, opções para download, brindes ou o que o produtor desejar oferecer ao público.

 

 Em resumo, o QR Code Padrão GS1 representa um avanço significativo na cadeia alimentícia, oferecendo uma gama de benefícios que transformarão a forma como produzimos, distribuímos e consumimos alimentos. Estamos diante de uma oportunidade única para impulsionar a inovação e promover um futuro mais próspero e seguro para todos.

29/05/2024

Compartilhar

Notícias em destaque