Pular para o conteúdo
Imagem: JBS registra lucro líquido de R$ 1,6 bilhão no 1º trimestre

A JBS, empresa do setor de alimentos, encerrou o primeiro trimestre do ano com lucro líquido de R$ 1,646 bilhão, revertendo o prejuízo de R$ 1,453 bilhão registrado no mesmo período de 2023. Na mesma base de comparação, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado cresceu 197,3%, para R$ 6,429 bilhões, e a receita líquida consolidada aumentou 2,8%, para R$ 89,147 bilhões.

15/05/24

Imagem: Marfrig tem lucro de R$ 62,6 milhões no 1º trimestre

A empresa brasileira de alimentos Marfrig fechou o primeiro trimestre do ano com um lucro líquido de R$ 62,6 milhões, revertendo um prejuízo de R$ 634 milhões no mesmo período do ano passado. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) cresceu 94,8%, para R$ 2,7 bilhões, na comparação anual.

16/05/24

Imagem: Fusões e aquisições de consumo e varejo sobem 33,7%

O Brasil registrou 139 fusões e aquisições de empresas de consumo e varejo no ano de 2023, o que corresponde a uma alta de 33% na comparação com 2022, quando 104 transações desse tipo foram realizadas nesse setor. A segmentação da quantidade de operações em 2023 foi da seguinte forma: alimentos, bebidas e fumo (47); hotéis e restaurantes (22); lojas de varejo (21); shopping centers (17); embalagens (15); supermercados (12) e vestuário e calçados (5). Esses são dados da pesquisa da KPMG, realizada com empresas de 43 setores da economia brasileira.

12/03/24

Imagem: Rio de Janeiro registra a cesta básica mais cara do país

Em dezembro de 2023, o valor médio da cesta de consumo básica de alimentos subiu em relação ao mês anterior em 7 das 8 capitais analisadas pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE. A cesta mais cara continuou sendo a do Rio de Janeiro (R$ 946,00), seguida pelas de São Paulo (R$ 797,66) e Fortaleza (R$ 729,01). Por outro lado, as capitais Belo Horizonte (R$ 626,29), Manaus (R$ 669,79) e Salvador (R$ 692,99) registraram os menores valores. As cidades que registraram as maiores altas foram Curitiba (6,4%) e Fortaleza (4,8%), respectivamente.

15/01/24

Imagem: Preços mundiais de alimentos fecham 2023 com queda de 10%

O índice mundial de preços de alimentos registrou queda de 10,1% em dezembro de 2023, na comparação com o ano anterior. Em relação a novembro, houve redução de 1,5%. Segundo a agência de alimentos da Organização das Nações Unidas (ONU), dentre os fatores que impulsionaram o desempenho, está o forte ritmo de produção no Brasil. No acumulado de 2023, o índice de preços ficou 13,7% abaixo dos níveis do ano anterior, com apenas o açúcar registrando valores mais altos durante o período. As maiores quedas de preços ocorreram nos óleos vegetais, com -32,7% de janeiro a dezembro.

08/01/24

Imagem: Setor de consumo e varejo registra 46 fusões e aquisições no 1º semestre

Foram registradas 46 fusões e aquisições de empresas de consumo e varejo no primeiro semestre de 2023 no Brasil, o que corresponde a uma alta de 21% na comparação com o primeiro semestre do ano passado. Os segmentos de alimentos, bebidas e fumo registraram 15 operações, seguidos por supermercados (9), shopping centers (8), embalagens (8) e lojas de varejo (6). Os dados são da pesquisa da KPMG no Brasil, realizada com empresas de 43 setores da economia brasileira.

18/09/23

Imagem: Consumo de alimentos orgânicos cresce 16% no Brasil

A cada mil brasileiros, 360 se declaram consumidores de alimentos orgânicos, segundo a pesquisa "Panorama do Consumo de Orgânicos no Brasil 2023", realizada pelo Instituto Organis. Entre 2021 e 2023, o consumo da categoria registrou crescimento de 16% no país. Visto que quase 46% da população brasileira consome alimentos orgânicos, o país ocupa a quarta posição entre os maiores mercados consumidores de produtos naturais do mundo. Entre as regiões, o Nordeste apresentou o aumento mais significativo no consumo de orgânicos, de 32% em 2021 para 45% em 2023.

19/06/23

Imagem: Valor da cesta básica recua em 5 capitais

Em maio, o valor médio da cesta básica de alimentos caiu em 5 das 8 capitais analisadas pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE, na comparação com abril deste ano. As variações foram de -2,1% e -0,6% e, nas capitais onde houve aumento, as altas foram de 0,2% a 0,5%. As cidades que registram as maiores quedas foram Fortaleza e Brasília, com -2,1% e -1,4%, respectivamente. Já as maiores altas foram observadas em Salvador e Manaus, com 0,5% e 0,3%, respectivamente. A cesta mais cara continua sendo a do Rio de Janeiro (R$ 918,25), seguida pelas de São Paulo (R$ 853,05) e Brasília (R$ 736,88).

15/06/23