Pular para o conteúdo
Imagem em destaque

De medicamentos a sorvetes: a estratégia da Pague Menos na categoria de alimentos

Demanda Crescente

Atualmente, mais da metade das vendas da Pague Menos e Extrafarma é representada por medicamentos. A relevância da categoria não impediu a varejista de investir pesado na comercialização de alimentos e bebidas, marcando sua aposta em oferecer uma jornada de compra que vai além de medicamentos e itens de higiene e beleza. "Observamos que os clientes que frequentam nossas lojas têm interesse em uma variedade de produtos que oferecemos. É nessa etapa que concentramos nossos esforços na fidelização do cliente, buscando superar suas expectativas ao proporcionar acesso conveniente, preços acessíveis e uma ampla seleção de produtos em um único local", destaca Larissa Pinheiro, Diretora Comercial Não Medicamentos da Pague Menos e Extrafarma, com exclusividade ao Jornal Giro News.

Diversificação do Mix
Ao todo, são aproximadamente 650 SKUs das categorias de alimentos e bebidas disponíveis nas farmácias. O sortimento inclui produtos destinados a hábitos saudáveis, bomboniere, barras de cereais, suplementos proteicos, salgadinhos e sorvetes. Em bebidas, o mix abrange água, suco, bebidas proteicas, refrigerante, isotônicos eenergéticos. "Pode-se destacar como principais objetivos a conveniência, atender a uma cesta de consumo cada vez mais diversificada, atendendo perfis de consumidores para fidelizar e atrair novos clientes, e mantendo a relevância competitiva no mercado", comenta Larissa. Segundo a diretora, as categorias atreladas à alimentação têm ganhado cada vez mais participação, com crescimentos expressivos principalmente no segmento de nutrição.

Desafios da Categoria
Para impulsionar as vendas, uma das estratégias da rede é acompanhar as movimentações digitais, com o objetivo de entender a demanda que o canal está gerando e trabalhar na introdução desses itens no portfólio. Campanhas sazonais também entram no radar, como a Páscoa - período em que o foco é destacar os chocolates da linha regular. "Uma das questões-chave é garantir a conformidade com regulamentações específicas relacionadas à venda de produtos alimentícios em estabelecimentos. Isso inclui a necessidade de manter padrões rigorosos de higiene e segurança alimentar, além de seguir diretrizes específicas de armazenamento e manuseio de produtos perecíveis. Outro ponto é a otimização de espaço físico de loja necessária para viabilizar a exposição do mix", finaliza a diretora.

06/03/2024

Compartilhar

Notícias em destaque