Pular para o conteúdo
Imagem: Leilão da marca de chocolates Pan entra na 3ª fase

A segunda fase do leilão das 37 marcas pertencentes à Pan, entre elas o Chocolápis e a Moeda de Chocolate ao leite, não recebeu nenhum lance e o negócio entrou para a terceira fase. A nova etapa do certame, que tem duração de 16 dias e encerramento previsto para o dia 04 de março, já possui três lances. O lance atual está em R$ 251 mil. Para Erick Teles, leiloeiro oficial, a terceira fase pode representar uma estratégia do mercado, podendo haver um aumento na disputa pelas marcas. Segundo a Positivo Leilões, até agora, o leilão tem sete habilitados. A primeira fase, que também não teve lances, contou com 12 empresas interessadas.

19/02/24

Imagem: Justiça de SP leiloa marca Chocolates Pan

Depois de a Cacau Show ter comprado a antiga fábrica da Chocolates Pan, a Justiça de São Paulo determinou que a marca da empresa também deve ser leiloada para pagar os credores. Segundo a análise, a Chocolates Pan tem um valor mínimo de mercado de R$ 27,5 milhões - este será o preço inicial do leilão, que ainda não tem data para acontecer. A marca de chocolates tem o faturamento estimado em R$ 51 milhões em cinco anos e a avaliação considera que, como o histórico da Pan aponta que é uma marca madura e consolidada, a taxa de royalties a ser cobrada em um possível licenciamento é de 5%, o que representa mais de R$ 2,1 milhões até 2028.

23/10/23

Imagem: Real Solar arremata marcas da Chocolates Pan por R$ 3,1 milhões

As 37 marcas da Chocolates Pan, como as moedas de chocolate ao leite e o Chocolápis, foram arrematadas pela empresa Real Solar, de Goianinha, no Rio Grande do Norte, por R$ 3,1 milhões. A disputa se encerrou ontem (04), na terceira e última fase do leilão, que recebeu 25 lances e contou com a participação de 12 empresas habilitadas. O resultado agora segue para homologação na Justiça de São Paulo. Para Fábio Rodrigues Garcia, administrador judicial da falência da marca, o leilão foi um passo importante para todo o processo de falência da empresa. "O valor arrecadado vai ajudar a quitar parte das dívidas com os credores, vamos conseguir quitar todos os débitos com os funcionários."

05/03/24

Imagem: Justiça decreta falência da Chocolates Pan

Nesta segunda-feira (27), o juiz Marcello do Amaral Perino, da 1ª Vara Regional de Competência Empresarial e de Conflitos Relacionados à Arbitragem de São Paulo, decretou a falência da fábrica de chocolates Pan. Neste mês, a empresa apresentou uma solicitação de autofalência à Justiça de São Paulo, após entrar em recuperação judicial em 2020. Segundo o juiz, a decisão considera a "inviabilidade de manutenção da empresa, que possui longa lista de débitos e não apresenta plano viável para recuperação judicial". Com a falência decretada, a administradora judicial dará início ao encerramento definitivo da fábrica, fechando as instalações e vendendo os ativos.

28/02/23

Imagem: Chocolates Pan pede falência à Justiça

A Chocolates Pan apresentou uma solicitação de autofalência à Justiça de São Paulo. A empresa acumula dívidas de R$ 260 milhões e tem 52 funcionários atualmente. No pedido, a fabricante alega que sofreu uma queda expressiva em seu faturamento nos últimos anos, impactando o plano de recuperação judicial, que foi solicitado em 2021 e teve seu prazo encerrado há duas semanas. Entre as possibilidades apontadas pela Pan à Justiça, está a venda da marca e da área de sua fábrica, localizada na Grande São Paulo, para o mercado imobiliário.

14/02/23

Imagem: Ministério Público pede falência da Pan

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) entrou com um pedido de decretação de falência na Justiça contra a Pan, empresa de produtos alimentícios. Segundo informações de mercado, com a pandemia, a indústria não conseguiu pagar dívidas estimadas em cerca de R$ 209 milhões e entrou com pedido de recuperação judicial. No entanto, o Ministério Público considera que a empresa não tem condições de manter suas atividades. Por sua vez, a Pan afirma que uma perícia já concluiu a viabilidade de sua operação e que tem procurado regularizar seus débitos tributários, negociando parcelamentos e oferecendo bens como garantias.

16/08/22