Pular para o conteúdo
Imagem: Valor da cesta básica aumenta em 10 capitais em março, mostra Dieese

Em março, o custo do conjunto dos alimentos que compõem a cesta básica dos brasileiros aumentou em 10 das 17 capitais onde o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. As maiores altas foram registradas em Recife (5,81%), Fortaleza (5,66%), Natal (4,49%) e Aracaju (3,90%). Indo no sentido contrário, as reduções mais expressivas foram observadas no Rio de Janeiro (2,47%), Porto Alegre (2,43%), Campo Grande (2,43%) e Belo Horizonte (2,06%).

05/04/24

Imagem: Valor da cesta básica aumenta em 16 capitais

O custo da cesta básica aumentou em 16 das 17 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. A única redução ocorreu em Fortaleza (1,91%). As altas mais expressivas foram registradas em Belo Horizonte (10,43%), Rio de Janeiro (7,20%), Brasília (6,27%) e Goiânia (6,18%). Em uma comparação dos valores da cesta, entre janeiro de 2023 e janeiro de 2024, 9 capitais tiveram alta de preço, com destaque para as cidades do Sul: Florianópolis (5,21%), Curitiba (4,47%) e Porto Alegre (4,47%).

08/02/24

Imagem: Preço da cesta básica aumenta em 11 cidades

O valor do conjunto dos alimentos básicos aumentou em 11 das 17 capitais onde o Dieese realiza a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. Entre abril e maio de 2024, as maiores elevações ocorreram em Porto Alegre (3,33%), Florianópolis (2,50%), Campo Grande (2,15%) e Curitiba (2,04%).

07/06/24

Imagem: Preço da cesta básica cai em 15 capitais em 12 meses

O valor da cesta básica diminuiu em 15 capitais em 2023, e as principais reduções acumuladas no período de 12 meses - entre dezembro de 2022 a dezembro de 2023 - foram registradas em Campo Grande (-6,25%), Belo Horizonte (-5,75%), Vitória (-5,48%), Goiânia (-5,01%) e Natal (-4,84%). Indo pelo sentido contrário, as capitais que registraram alta no período foram Belém (0,94%) e Porto Alegre (0,12%).Os dados são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Segundo o estudo, na comparação mensal entre novembro e dezembro de 2023, o valor da cesta subiu em 13 capitais, com destaque para Brasília (4,67%), Porto Alegre (3,70%), Campo Grande (3,39%) e Goiânia (3,20%).

09/01/24

Imagem: Preço da cesta básica paulistana cai 1,49%

Em agosto, houve uma queda de 1,49% no valor da cesta básica do paulistano. O preço médio, que em 31 de julho era de R$ 1.212, 82, passou para R$ 1.194,79 em 31 de agosto. Os dados são da pesquisa mensal do Procon-SP, em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O grupo que mais colaborou para a queda no período foi o de Limpeza (-5,12%), seguido por Alimentação (-1,36%) e Higiene Pessoal (-0,04%). No mês, os produtos que mais registraram queda nos preços foram: batata (-15,61%), sabão em pó (-8,22%), feijão carioquinha (-6,90%), cebola (-5,58%) e farinha de trigo (-4,64%).

21/09/23

Imagem: Preço da cesta básica cai em 16 capitais em agosto

Segundo pesquisa feita pelo Dieese, o preço da cesta básica diminuiu em 16 capitais no mês de agosto, de 17 capitais pesquisadas pelo levantamento, em relação a julho. As maiores quedas ocorreram em Natal (5,2%), Salvador (3,3%), Fortaleza (2,8%), João Pessoa (2,7%) e São Paulo (2,7%). A capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, foi a cidade onde o conjunto dos alimentos básicos apresentou maior custo, de R$ 760,59, seguida de São Paulo (R$ 748,47), Florianópolis (R$ 743,94) e Rio de Janeiro (R$ 722,78).

11/09/23

Imagem: Custo da cesta básica tem altas de até 7,61%

No mês de janeiro, o custo da cesta básica subiu em 11 das 17 capitais analisadas pela Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). As maiores altas foram em capitais nordestinas, com destaque para Recife (7,61%), João Pessoa (6,80%), Aracaju (6,57%) e Natal (6,47%). Em contrapartida, as capitais da região Sul tiveram as maiores quedas, com Florianópolis na liderança (-1,11%), seguida por Porto Alegre (-1,08%) e Curitiba (-0,50%).

08/02/23

Imagem: Cesta básica recua 0,32% em setembro

Levantamento mensal feito pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP, em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), revela uma queda de 0,32% no valor da cesta básica do paulistano. O preço médio, que em 31/08/2022 era de R$ 1.253,29, passou para R$ 1.249,26 em 30/09/2022. Os grupos de Limpeza e Higiene Pessoal apresentaram altas, de 2,25% e 2,34% respectivamente. Já o grupo Alimentação apresentou queda de -0,73%.

18/10/22

Imagem: Cesta básica de junho sobe mais 2,07% em São Paulo (SP)

Pesquisa do Procon-SP revela alta de 2,07% no valor da cesta básica do paulistano. O preço médio, que em 31/05/2022 era de R$ 1.226,12, passou para R$ 1.251,44 em 30/06/2022. Todos os grupos apresentaram alta: higiene pessoal, 5,30%; limpeza, 2,28%; e alimentação, 1,78%. A variação no ano é de 15,02% (base: dezembro/2021). Dos 39 produtos pesquisados, na variação mensal, 28 apresentaram alta, dez diminuíram de preço e um permaneceu estável.

14/07/22

Imagem: Custo da cesta cresce em 9 capitais brasileiras

Entre maio e junho, as maiores altas no preço da cesta básica ocorreram no Nordeste, nas cidades de Fortaleza (4,54%), Natal (4,33%) e João Pessoa (3,36%). Oito cidades apresentaram reduções, sendo que as mais expressivas foram registradas no Sul: Porto Alegre (-1,90%), Curitiba (-1,74%) e Florianópolis (-1,51%). São Paulo foi a capital onde o conjunto dos alimentos básicos apresentou o maior custo (R$ 777,01), seguida por Florianópolis (R$ 760,41), Porto Alegre (R$ 754,19) e Rio de Janeiro (R$ 733,14). Nas cidades do Norte e Nordeste, onde a composição da cesta é diferente, os menores valores médios foram registrados em Aracaju (R$ 549,91) e Salvador (R$ 580,82).

07/07/22